15/01/2018

QUAL VACINA ESCOLHER PARA O MEU CACHORRO?

 

Precisa vacinar seu cachorro e não sabe qual vacina escolher ou qual delas oferece a melhor proteção e o custo-benefício mais interessante para você? Leia nossa matéria agora mesmo e tire todas as suas dúvidas.

 

A hora de vacinar o cachorro é sempre um momento onde surgem muitas indecisões por parte dos tutores, afinal, todos querem fornecer um produto de qualidade e seguro para o seu pet, não é mesmo? Mas existem tantos produtos no mercado que decidir pela melhor opção pode não ser uma tarefa fácil. Por isso, trouxemos aqui 3 dicas que vão te ajudar nessa escolha.

 

 

DICA Nº 1
Verifique se a vacina desejada fornece proteção contra todas as principais doenças a que seu cachorro está exposto. No Brasil, uma vacina considerada essencial é aquela que, no mínimo, fornece proteção contra cinomose, parvovirose, hepatite infecciosa e leptospirose, além, é claro, da vacina contra a raiva, que também é tida como essencial e normalmente é administrada de forma separada.
Já a proteção contra as demais doenças (coronavirose, adenovirose e parainfluenza) normalmente estão acopladas com as vacinas que citamos acima, as chamadas múltiplas, e protegem ainda mais o cão.

 

DICA Nº 2
A Leptospirose é uma doença grave e não raramente causa a morte de animais e de seres humanos. Ela é causada por um grupo de bactérias que está distribuído no ambiente em todo o mundo. O maior problema é que como existem diversos sorovares (mais de 250) dessas bactérias, as vacinas costumam fornecer proteção apenas contra os principais e mais prevalentes, já que colocar todos eles na vacina seria inviável.
Assim, nossa dica nº 2 é: busque uma vacina que forneça proteção contra várias Leptospiras, para ampliar a cobertura vacinal contra essa grave doença.

 

DICA Nº 3
Uma dúvida muito comum que as pessoas têm é com relação à origem da vacina, se ela é nacional ou importada. Mas vamos direto ao “X” da questão: a origem da vacina não é o que mais importa, afinal, as vacinas existentes no mercado devem obrigatoriamente atender a todos os requisitos de qualidade e testes exigidos pelo órgão fiscalizador desses produtos no Brasil, que é o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Esse órgão não faz distinção em relação ao que é pedido para um laboratório nacional ou internacional. Ou seja, todas as marcas devem cumprir e atender a tudo que é solicitado de forma igual, demonstrando a segurança e eficácia de seus produtos.


Resumindo, o que interfere no resultado final da vacinação, portanto, não é a marca do produto, e sim outros fatores como, por exemplo, a forma de armazenamento (já que as vacinas podem perder sua eficácia se forem congeladas ou esquentarem), a correta aplicação do produto (que deve ser feita por um profissional) e o estado de saúde do animal (que deve estar em perfeitas condições de saúde para iniciar seu protocolo).

 

 

 

 

Gostou das dicas? Então curta e compartilhe com seus amigos!


Se ainda tiver dúvidas, converse com o Veterinário responsável pelo pet para discutir sobre a melhor opção para o seu animalzinho.