01/02/2018

  A parvovirose tem cura? Como diagnosticar, tratar e prevenir? 

 

 

A parvovirose está entre as principais doenças virais que ocorre em cães e pode levar ao óbito em poucos dias, se não for tratada rapidamente.

Se o seu cão está infectado e você pretende descobrir se há chances de cura e quer saber mais sobre essa doença, leia a matéria que preparamos especialmente para você.

 

 

COMO A DOENÇA OCORRE?
A parvovirose é causada pelo parvovírus canino tipo 2, que está amplamente distribuído no ambiente. O animal suscetível se infecta através do contato direto com fezes contaminadas ou através do contato indireto, ou seja, se uma pessoa ou um objeto entrou em contato com o vírus e depois entrou em contato com um cão suscetível, ela pode carrear o vírus e transmitir a doença de forma indireta. Além disso, o vírus também pode ser disseminado pelo ar.
Quando o cão se infecta, ele adoece muito rápido, pois o vírus se distribui, em um primeiro momento, pelo tecido linfoide da orofaringe e pelas amígdalas e em cerca de 4 a 6 dias, se espalha por todo o organismo. Como o parvovírus tem preferência por tecidos com alta taxa de multiplicação celular, a medula óssea e o intestino são seus alvos principais (o que explica boa parte dos sintomas).
Já no intestino, o vírus age destruindo as vilosidades e diminuindo a capacidade que o órgão tem de fazer a absorção de nutrientes e líquidos. Portanto, a principal manifestação da doença é a diarreia, já que o pet não absorve quase nada do que ingere, além de outros sinais como vômito, anorexia, perda de apetite, febre e desidratação.

 

   

 

 

COMO SEI SE MEU CACHORRO ESTÁ COM PARVOVIROSE?
Normalmente, quando o cãozinho apresenta a famosa diarreia com sangue as pessoas tendem a achar que se trata de parvovirose. Mas o problema é que nem sempre é. Outras doenças, de diversas origens (e não somente as virais), podem levar a esse sintoma. Por isso é tão importante a consulta com o Veterinário para que ele realize um bom exame físico e exames complementares necessários.
Dentre os exames disponíveis atualmente, os testes rápidos se tornaram grandes aliados do Veterinário na clínica, pois fornecem agilidade (resultado em 10 minutos) e precisão no resultado, com alta sensibilidade e especificidade (próximas de 100%), o que garante confiabilidade no diagnóstico, além de serem de baixo custo, se comparados às técnicas laboratoriais mais complexas.

O SensPERT Parvovirose é um teste rápido, que demonstra se o vírus está presente em uma pequena amostra de fezes coletadas do animal com suspeita. Porém, vale lembrar que esse teste deve ter seu resultado avaliado em conjunto com os sintomas.

Saiba mais sobre o Kit Senspert Parvovirose aqui.

 

                     

 

A PARVOVIROSE TEM CURA?
Sim. Apesar de ser uma doença grave, com alta taxa de letalidade, existem medicamentos e terapias que podem ser utilizados na tentativa de fazer com que o pet se recupere. Como a doença tem uma evolução rápida e acomete os cães com poucos dias de vida, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível a partir do surgimento dos primeiros sinais, onde as chances de cura são maiores.

 

 

QUAL É O TRATAMENTO PARA PARVOVIROSE?
Os únicos tratamentos específicos disponíveis atualmente para a parvovirose são os soros hiperimunes e os antivirais.
O soro hiperimune é um excelente aliado no combate à parvovirose, desde que utilizado da maneira correta e no início da doença. Isso porque, muitas vezes, a doença evolui de forma tão rápida que o animal não consegue produzir seus próprios anticorpos. Assim, o soro funciona como um suporte, fornecendo imunoglobulinas já formadas.


Estão disponíveis no mercado atualmente os seguintes soros:
• Soroglobulin Max: anticorpos contra Cinomose, Parvovirose e Coronavirose.
• Gastroglobulin: anticorpos contra Parvovirose e Coronavirose.
• Cannis Globulin: anticorpos contra Cinomose, Parvovirose, Coronavirose, Adenovirose, Hepatite e Parainfluenza.

 

Outras medicações de suporte também poderão ser utilizadas, a critério do veterinário, como, por exemplos, os antibióticos de amplo espectro, como a Sulfadoxina + Trimetoprim (Trissulmax) para evitar infecções oportunistas devido à debilidade do animal, além de fluidoterapia para reposição de líquidos e eletrólitos.
Também poderão ser recomendados medicamentos para o vômito, uso de suplementos (normalmente compostos com vitaminas do complexo B que melhoram o apetite) e repositores de microbiota intestinal, além de outras terapias sob orientação do profissional.

 

 

 

IMPORTANTE: Não administre quaisquer medicamentos por conta própria.

 

COMO PREVENIR A PARVOVIROSE?
A doença pode ser prevenida facilmente através da vacinação. O protocolo inicia, normalmente, aos 45 dias de vida e são recomendadas mais 3 doses com intervalos de 21 a 30 dias e reforço anual.

A vacina Vencomax 12 da Venco além de proteger contra a Parvovirose, também fornece proteção contra a Cinomose, Coronavirose, Adenovirose, Hepatite, Parainfluenza e a Leptospirose. É a vacina mais completa do mercado, pois garante maior cobertura contra leptospirose, outra enfermidade bastante grave. Aqui você descobre mais sobre ela.

 

Se o seu cãozinho está com algum sintoma, consulte o veterinário o quanto antes e não administre nenhum medicamento por conta própria.

 

Gostou dessa matéria? Então compartilhe com seus amigos para que eles também fiquem de olho e protejam seus cães.